Aê, todo mundo

Seja bem vindo. Não espere boas maneiras ou mensagens edificantes!
Lembre-se: esse papo de 'só o amor constrói' é balela: quem constrói é o pedreiro.

sábado, dezembro 11, 2010

Então é natal...


Dicas de como passar seu último natal em família.
Se você não suporta jingle bells ou então a Simone assassinando aquela músiquinha do John Lenon, aqui vão algums dicas para NUNCA MAIS   ter sua presença requisitada pela família. Há 2 formas de se fazer isso:  você pode ser levemente chato ou pode ser completamente inconveniente. Ou, seja: banque o missionário místico ou o iconoclasta impiedoso.

Levemente chato (missionário místico)
Chege à  reunião familiar com vááááááá´rios pacotinhos pequenos de presentes, todos devidamente identificados com o nome de cada um dos convidados. Cada pacotinho deverá conter:
Uma varetinha de incenso de 1,99;
Um vidrinho de perfume (também 1,99) chamado mirra
Em potinho de purpurina dourada – pra simbolizar o ouro, mané

Compungido, entregue a cada um pessoalmente cada pacotinho dizendo: és filho de Deus e a vós presenteio com as bençãos desta terrra. Ninguém vai entender porra nenhuma.(acho que nem eu entendi) É a hora de discorrer longamente sobre os 3 reis magros – ops, MAGOS. (pesquise você na wikipédia o nome deles porque eu nã sei...)
Certamente sua família vai lhe odiar, por um presente tão vagabundo e sem utilidade nenhuma... até um cd pirata do Zeca Pagodinho seria melhor recebido... mas, não esqueça, você está imbuído de uma missão nesta noite.
A segunda parte de sua missão se dará diante da árvore de natal. Pare diante dela. Faça uma cara de concentrado. Analise-a. Feito isso, discorra longamente sobre o fato de o Natal cristão ter sido, na Idade Média, sincretizado com as festas pagãs referentes ao solstício de inverno europeu. (mais uma vez, recorra à wikipédia)
Mais ou menos neste ponto alguém, não aguentando mais a sua chatice, virá lhe oferecer uma cerveja. Recuse-a, escandalizado, dizendo: Isto é uma celebração religiosa cristã. Não deveríamos nos entregar à libações alcóolicas.
Atenção: Este pode ser o ponto alto da noite: saque uma Bíblia do bolso e diga à todos que este deveria ser um momento de oração. Leia qualquer coisa do Novo Testamento.
Caso haja crianças na festa e alguma perguntar pelos presentes do Papai Noel, é hora de discorrer longamente sobre a lenda de Santa Klaus.
Acredito que seja o bastante para que, no próximo natal, sua família dê graças a Deus quando você comunicar que passará o dia 25 de dezembro num retiro espiritual.

Completamente inconveniente (o iconoclasta impiedoso)

Essa performance é recomendada aos mais jovens, mas nada impede que você, quarentão, resolva fazer um momento de regressão às suas origens rebeldes.
Chegue trazendo muita cerveja, abrace a todos calorosamente. Declare que “meu, puta felicidade todo mundo junto pra encher a cara e traçar um galináceo”. Em seguida, reclame que a festa está desanimada e vá colocar um “som na caixa”. Aquele  CD do Garotos Podres. Coloque justamente a faixa “papai noel/velho batuta/porco capitalista/ presenteia os ricos/Cospe nos pobres” e, sozinho no meio da sala, aja como se estivesse numa festa punk, num  bom e velho ‘pogo’ . Se houver crianças, melhor: convide-as pra dançar junto. Se calhar, você pode até conseguir chutar a árvore de natal no chão. Caso isto aconteça, a bronca será inevitável. Reaja indignado: Pô meu, que negócio é esse e pinheiro de natal com neve artificial? Troço mais brega... isso aqui é um país tropical, a gente deveria ter era uma “palmeira de natal, pô. E, de mais a mais, o natal não é o aniversário do cabeludo lá da Bíblia?  O cara vivia no meio do deserto, galera! Onde já se viu pinheiro no Oriente Médio? Helloooooooooouuuuu! Realiza!
Neste momento você vai explicar a todas as crianças presentes que o papai noel NÃO EXISTE. Conte, se dó nem piedade que é o papai e a mamãe que compram os presentes. Se alguma criança chorar seja firme e diga: o mundo é cruel, é bom ir se acostumando com isso, rapá. Ah, a propósito:  o coelhinho da páscoa TAMBÉM NÃO EXISTE! que é uma invenção do capitalismo e blá blá blá (vale dar uma corridinha na wikipédia – a mãe dos burros-  e buscar alguns conceitos marxistas sobre o capitalismo).
Na hora de distribuir os presentes – caso você ainda não tenha sido corrido porta afora -  não te micha: dê a cada um um cd pirateado da internet. Diga que foi com carinho que pensou em  cada um e que cada cd é personalizado. (é óbvio que cada CD conterá seleções de punk rock e heavy metal... eu recomendaria também incluir alguma coisa de Beasty Boys) Dê para as crianças algo especial: Rap nacional... nada de MV Bill... mande Racionais MCs, pavilhão nove, e as mais violentas do 509-E (aquela banda de presidiários do Carandiru...)
Você pode dar por encerrada a sua missão. No próximo ano, não olhe pra trás e vá passar o seu natal na praia com os  amigos.

8 comentários:

Felipe Braga disse...

kkkkkkkkkkkk

Hilário, Ane! Eu só fiquei em dúvida sobre qual performance usar.

Dei muita risada, principalmente quando constatei que minhas inclinanações são compartilhadas. hehehe

Foda, foda. Você é foda.

Beijos.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Ane,

inspirado pra dedéu, um dos melhores textículos teus.

o final poderia ser com chave de ouro se fosse: "e vá passar o indulto de natal na Praia Grande com os amigos."

pensei nisso por causa da citação anterior do pavilhão nove e do 509-E, presidiários do Carandiru.

=D
Marcos

Marcos Satoru Kawanami disse...

ninguém mais comenta esse texto?

em vez de café na térmica, os índio velho deve de tá querendo um mate. oigale!

eu tinha dito praia grande, mas é ilha grande. onde há uma casa de repouso.

=D
Marcos

sandra camurça disse...

Muito bom, Ane! Dei boas risadas :D Preciso voltar mais vezes aqui...
Beijão

Jens disse...

Oi Princesa Ane.
O incauto que seguir tuas indicações certamente vai protagonizar o que eu chamaria de um Natal Sangrento. Não há espírito natalino capaz de aceitar pacificamente pregações e presentes de natureza mística e, especialmente, a poesia lírica dos Garotos Podres.
***
A partir da experiência pessoal, apresento outra fórmula infalível para ser desterrado do convívio familiar: exagerar no consumo de bebidas de alto teor alcoólico (nada de cervejinha, só destilados) e, assim motivado, entreter os convivas com piadas e, ao mesmo tempo, tecer comentários indelicados sobre das damas presentes, tais como: "porra Marilu, tu tá uma baleia. Faz um regime antes de explodir" ou então "porra, Gildinha, tu tá muito gostosa". Bolinar as moças é uma opção radical que não deve ser descartada.
***
Beijo, garota.
Feliz Natal.

Diane Lorde disse...

É, acho que iria funcionar mesmo.... fiquei com "raiva" só de ler..rsrs
Que 2011 seja próspero, repleto de saúde para realizar todos seus desejos e que haja menos chatos de plantão!

Celso Ramos disse...

Olá Ane!!!
Sua descrição de como fazer um natal em família pra nunca mais ser chamado pra festa foi de uma perfeição só!!! Por esses e outros textos deixei lá no blog uma mensagem para os amigos que passaram por lá neste o que inclui "vós missê"....fiz uma citação a sua pessoa!!!! Feliz ano de 2011......

sandra camurça disse...

Cê tá de férias, estressada, sem tempo, ou sem vontade de escrever?
Saudade de te ler, moça.
Beijos