Aê, todo mundo

Seja bem vindo. Não espere boas maneiras ou mensagens edificantes!
Lembre-se: esse papo de 'só o amor constrói' é balela: quem constrói é o pedreiro.

segunda-feira, dezembro 10, 2007

Lições da maternidade




Essa é a Preta, nossa filha!
Compramos uma porra de uma máquina digital SÓ PRA TIRAR FOTOS DA GATA...
E aí, a porra da gata, se revelou uma TÍMIDA! Ora pois, deixa estar, que eu dô jeito:

Bom, acho que a foto foi pro lugar errado.
Enfim.
Preta (foi nego véio, o pai (aço) que batizou a fia) está conosco há uns 6 meses.
Nesses 6 meses, aprendi muitas coisas:

1- mãe não tem direito de fazer xixi e côco sossegada.

2- mãe não tem direito de tomar banho sossegada

3- mãe não tem direito de atualizar o blog sossegada

4- pai e mãe não tem direito de namorar sossegados no sofá....

5- além de arrumar a casa pra receber o novo morador, tive de me conformar com "o círculo de amizades do novo morador....

E aí eu me dou conta de que É SÓ UMA GATA, CARAIO!!!!

Espero que as funções de final de ano não me deixem estressada, senão, em breve eu anuncio no blog:
VENDO TAMBORIM!

15 comentários:

Bofiscândalo disse...

oi querida rsrsrsrsrrs como vai? que fatal que vc está hein, mas mâe não tem direito mesmo. o único direito é assimir a culpa dos traumas do filho e se dar conta que ele é um maníaco ok, cuidado com essa gata ela pode ser assassina hein rsrsrsrsrsrs beijão, ate mais

Acantha disse...

6 meses?? Dançou, ANE. Já pegou amor..
Mas é de uma intensidade tal que Preta não corre mais risco de virar tamborim.
Ou churrasquinho.

Marco disse...

Olá, Ane.
Vim retribuir a sua amável visita ao meu guarda-louças de velhas emoções. Seu blog é muito legal e o seu senso de humor melhor ainda. parabéns!
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Bill disse...

Entendi perfeitamente seus problemas com a felina, Ane! Crio gatos há anos e é isso mesmo. Mas, com o tempo, você acaba descobrindo qualidades em sua nova amiga. Deixa essa idéia de tamborim pra lá!!!
Bjuuusss!!!

Yvonne disse...

KKKKKKKKKKKKKK, quando eu penso que vem uma escancarada declaração de amor, aparece você com mais uma gozação. Beijocas

Flávio disse...

esquenta não... maternidade é assim mesmo. Depois acostuma! :)

Jens disse...

Oi Ane.
O meu surto de nenhenhém passou e eu voltei pra atazanar a tua paciência aqui no blog. Eu gosto é de cacchorro (o uísque engarrafado, segundo Vinicius). Gato, pra mim, só em espetinho de churrasco (nhamnham). A propósito: a Preta tá gordinha? É que tô pensando em fazer um churrasquinho no fim de semana. Hehehe, eu continuo mau, muito mau. Malvadão.
Abraço e beijo.

Engraçadinha disse...

Agora imagine vc, qdo chegarem os fios sem rabo!!!
Um bj querida.

bostamcity disse...

Esse final foi cruel! Coitado do gato. E mais uma vez,parabens,sua veia humoristica é, deveras, afiada. Aliás, não deixe de visitar meu blog, pois adoro seus comentáris.

bostamcity disse...

Esse final foi cruel! Coitado do gato. E mais uma vez,parabens,sua veia humoristica é, deveras, afiada. Aliás, não deixe de visitar meu blog, pois adoro seus comentáris.

abominnavel disse...

Isso me faz lembrar dos amorosos gatinhos que de vez em quando visitam minha casa e são devidamente expulsos a pedradas. Ah, como eu adoro os gatinhos...

david santos disse...

Passei para desejar-lhe um bom final de 2007 e um bom ano de 2008.

Aproveito para LHE pedir que participe na blogagem colectiva que se está a realizar hoje, dia 17, em prol da menina Flávia

http://flaviavivendoemcoma.blogspot.com/

Engraçadinha disse...

Ô neguinhaaa!
Leeembra daquele prêmio q vc me deu Escritores da liberdade? Poisentão, eu postei.
Aí, vc dá uma passadinha lá depois, viu? Eu tardo, mas não falho.

Aproveita e põe um haloscan aí nessa joça, q qdo eu ponho meu blogger ID, não aparece meu endereço, daí.

Jens disse...

Oi Ane.
Tô passando pra desejar um Feliz Natal pra ti, pro Nego Véio e pra Preta.
Muitos presentes. Muita alegria.
Um abraço e um beijo.

Chawca disse...

Acabei de ganhar um cachorro que parece que tomou Ecstasy com vodka...
Não sossega e é mais Aparecido que eu...

Gatos, eu passo, trauma de infância...

Um abraço