Aê, todo mundo

Seja bem vindo. Não espere boas maneiras ou mensagens edificantes!
Lembre-se: esse papo de 'só o amor constrói' é balela: quem constrói é o pedreiro.

quarta-feira, julho 09, 2008

Bandidagem

Pouco antes de dormir, ouço no jornal da noite que Naji
Nahas tinha sido preso. ele e uma renca de gente. Acordei pensando que tinha
sonhado. Desde criança ouço o nome "naji nahas" envolvido em alguma falcatrua.
Na década de 90 lia sobre falcatruas de Daniel Dantas....

Acordo pela manhã e ligo o televisor. É real. A polícia
federal prendeu mesmo...


Bem, e aí a vaca da Míriam Leitão vem reclamar do "abuso" da PF
que veio de arma em punho "como se fosse prender bandidos armados nas ruas".
Leiturinha básica de discurso: na favela pode entrar cavirão, pode entrar
de arma em punho... em bairro de bacana, nem pensar. Ah, meu poupe. E não são
bandidos? Mi madre me ensinou que não há diferença entre roubar um tostão
ou um milhão.... agora, olhando o noticiário, constato, com tristeza, que as
lições de ética e moral de mi madre estavam erradas. Há uma grande diferença
sim. Se você roubar um tostão na periferia, vai preso, leva esculacho e puxa uma
cana forte num cadeião superlotado e imundo. Agora, se você roubar um milhão....
bem, aí é tratado por doutor, recorre à ONU (como o filho da puta do Cacciola) e
fica hospedado na carceragem da PF...

E aí eu fico pensando: quem é mais bandido? o
cara que rouba bolsa de velhinha no centro da cidade ou o camarada que ganha uma
grana milionária numa maracutaia de privatização das teles? Que lesa fundos de
pensão? Qual deles é de maior periculosidade pra sociedade?

E quanto tempo esses pulhas ficarão presos? O Noblat lançou um sorteio lá no blog dele. quem acertar leva um ipod.... bem que eu tô precisando de um... meu lance são 5 dias... alguém aí tem um palpite?

Agora, uma histórinha: um fulano, morava lá no
abrigo, me contou que puxou uma cana no presídio central. a história: "eu
tinha um primo que mexia com tráfico, e esse primo tinha uns camaradas que
faziam assalto. Bom, só que meu primo tava pedido pela polícia, e tinha se
mocosado lá nas bandas da Alameda*. Ele deixou tudo pra trás na Cruzeiro*, onde a
gente morava. Daí, um dia o cara me liga e pede pra eu fazer uma feição pra
ele: pegar uma mochila e levar lá pro novo mocó. Tava tudo certo, eu não
era fichado, tava até trabalhando... e meu primo precisava das armas, que ele já
tinha negociado elas pra fazer dinheiro, e o comprador ia buscar.

Peguei a mochilinha, botei nas costas e me fui. de
busão. tudo certo. Só que, quando eu tô chegando na bocada, pararam o
busão. blitz. desce todo mundo e revista....

Aí, acharam as armas na mochila. fui emplilhado em vários
artigos... puxei 3 anos de cana.

agora tirem as conclusões que quiserem.

* vilas populares de Porto Alegre

8 comentários:

Engraçadinha disse...

Cara vc lembrou bem, esse tal de Naji Nahas povoa meu imaginário desde pequena. Não sabia o q ele fazia, mas sabia na minha ingenuidade de menina, q coisa boa não era.

Quanto ao primo, foi dedado. Deu passagem prá algo maior passar.
Coisas do meio

parayba disse...

Esses caras são foda, fazem um monte de merda, e "descolar" grana suficiente para gastar do jeito que quiserem e ainda subornar, pagar vianças, advogdos...

Abraços
Michael Meneses!

heliopaz disse...

Fala, nega véia!

Beleza? ;)

Leva o nêgo véio, a bicharada, família e amigos que, agora, vai:

Vamos nos mexer? ;)

http://heliopaz.wordpress.com/2008/07/13/sabado-dia-20-10h-no-brique/

[]'s,
Hélio

Jens disse...

Beleza, combativa Ane. Pau na canalha.
***
Voltei.
***
Beijo pra ti; abraço pro principe consorte.

Yvonne disse...

Isso é o que se pode dizer sobre a nossa justiça que é cega, surda, muda e idiota. Quem rouba milhões pode ficar impune, o pequeno não. Enfim, somos nós que colocamos toda essa corja nos lugares onde eles estão.
Beijocas

teresa disse...

tem horas que o ser humano me dá engulhos...

Fábio Vanzo disse...

Atualiza!

Curupira disse...

Culpa do Povo brasileiro, que exercita muito a bunda pra mostrar nos carnavais e já ficou acostumado ao ferro.

Lute! Por favor, Lute!
Chore à vontade mas lute contra o inevitaveL("?"): Todos nós seremos mais conformados e mais sérios (quando estivermos mais velhos, até lá...)