Aê, todo mundo

Seja bem vindo. Não espere boas maneiras ou mensagens edificantes!
Lembre-se: esse papo de 'só o amor constrói' é balela: quem constrói é o pedreiro.

terça-feira, setembro 11, 2007

A vida a dois

>- Amor, me passa a chimia?

- Sim, nega, mas faz o favor de tirar esse papelzinho metálico daí, sim?


- Pra quê?


- ora, porque tem que tirar!

- Por que tem que tirar?

- Porque sim, ora!


- Tá, baseado em que tu afirma que tem que tirar essa porra desse papelzinho?

- Tu fumou um baseado?

- Baseado? Eu perguntei baseado em quê? E tu? Comeu criança quando era cocô?


- Tá, tu tira essa merda ou deixa que eu tiro?

- Ninguém vai tirar bosta nenhuma aqui! Esse papelzinho é uma proteção extra contra... contra....


- Aha, viu só, nem tu sabe pra que serve esse troço.

- ah, não fode, porra!


Claro que um casamento nem sempre é assim, há momentos mais tensos, tais como a discussão para o aumento da família.


- Gatinha linda, bem que a gente poderia ter um bichinho de estimação...


- falaste Bem: poderia, do verbo num pode mais.

- ah, bem, a gente podia ter uma gatinha.

- Nós já tivemos uma gatinha e não deu certo.


- Não: tu não deu certo com a gata e comeu ela na porrada.


-Sim, né, a bicha queria ocupar toda a cama e ainda dormir NO MEIO e quando eufui botar ordem no puleiro ela fez fuufuuu pra mim?!

- tu já fez coisa bem pior que fuuufuuu pra mim e nem por isso eu te comi na porrada
.

- Tá me ameaçando?

- Não, só tô dando um exemplo...

- Sabe o que eu tô achando? Tu era bem capaz de preferir ficar com aquela gata do que comigo... só proque era um raio de siamêsa de olho azul...

- Ah, amor, esquece essa história... a gente podia tentar de novo... ia ser bom...


- Ia ser um saco: comprar comidinha, caixinha de areia...

- ah, eu cuido!

- Cuida um escambau, vai sobrar é pra mim!

- Ah, como tu é chata!

- Tu é que é um pé no saco com essa história de bichinho... só porque tu não teve na infância agora quer transformar a nossa casa num mini-zoo.

- Eu só queria UMA gatinha.

- è assim que começa: depois da gatinha, um cachorrinho, depois do cachorrinho, outro cachorrinho porque o cachorrinho n° 1 tá muito sozinho, depois do cachorrinho um peixinho dourado... ah, nem tenta!


- Porra, mulher, má vá sê melodramática assim lá na casa do...

- Por que que tu não encheu o saco da tua mãe pra ter um bichinho? hein? hein?

- A gente morava em apertamento!

- Tá, e daí agora eu é que pago o pato por tu ser um guri de apartamento!?

- Ah, eu detesto quando tu me chama de guri de apartamento

- Ah, não fode!


Essa é uma obra de ficção! qualquer semelhança com fatos ou pessoas reais é mera inspiração!


11/09/1973 - Assassinato de Salvador Allende no Chile e início da ditadura Pinochet,

11/09/1978 - Nascimento o senhor nego véio (que não era senhor, tampouco nego véio, só um bebê careca, pelado e desdentado) que veio ao mundo pra torná-lo mais alegre e mais doce. Parabéns, amor da minha vida!

12 comentários:

Anne: disse...

De volta ao mundo cão!!
Hahahaha
Qualquer 'conhecidência', você quer dizer!
Mazel tov aí pro nêgo-véio!

:D

Meneau disse...

E o pior é que conheço uma pá de casais assim. E quanto a revista ...Te perguntou?, ajudo na editoria. Um abraço.

Jens disse...

PQP!
Genial, Anne. Adorei.
Menina, o que você anda comendo no café da manhã? Manda uma caixa pra mim. Quero escrever assim também.
Um abraço.

Jens disse...

PS:
Parabéns pro excelentíssimo senhor Nego Véio. Me manda uma cervejinha e uma bandejinha com docinhos e salgadinhos.(A coisa tá feia aqui na Vila Nova).
Abraços pros dois.

Sheherazade disse...

Pois é, Ane, entre tapas e beijos vivem os casais até que a vida os separe (a morte, jamais!) por comum acordo. Nêgo véio aniversaria em 11 de setembro? E eu pensei que o maior acontecimento dessa data tinha sido a queda das torres gêmeas, menina! Parabéns a ele e a ti, por tê-lo fisgado (faço votos de que para sempre).

Beijos aos dois.

Anônimo disse...

obrigado, Anne, or suas palavras gentis sobre minha p�gina. Estive com alguns problemas pessoais e demorei de mudar a cr�nica.
Tamb�m gostei muito do seu, � moderno, din�mico e bem mais dentro da linguagem da Internet. O meu, como voc� viu, � bem mais velho, afinal tenho 71 anos e devo assumir isso com orgulho.
Escrevo ainda em olobonet.
Abra�os e veja a nova cr�nica.
Araken Vaz Galv�o (arakenvaz@katrakanet ou arakenvaz@gmail.com

Yvonne disse...

Ane, dá parabéns ao Nego Véio. Também quero umas cervejas com salgadinhos bem gostosos. Beijocas para ele e para você também.

Clarissa Dalloway (ou Srta. Eu Odeio) disse...

Hum... teve niver, é? Minha parte quero em cervejaaaaaaaaaaaa!!! Pô, quando começamos a editar a revista Te Perguntou?! Tô nessa, tô nessa! Parabéns pro Senhor Nego Véio, e pra vc tb! Pra ele mais, claro, afinal, ter que aturar a porra do caralho do papelzinho metalizado da chimia não é mole, não...Bjs, mulé!

O Árabe disse...

Relacionamento é uma beleza, né? Mas o post tá ótimo! :)

Anônimo disse...

Ane, desulpe ter colocado dois enes em seu nome. Ali�s, mesmo anes de ler as palavras gentis que voc� escreveu sobre minhas dolorosas recorda�es, gostei de voc� elo nome, pois sou apaixonado pelo Brasil. Vo o traz no nome, eu na alma.
Caso deseje receber um livro meu (fic�o0 mande-me seu endere�o postal.
Um Grande abra�os e obrigado novamente.
Araken Passo Vaz Galv�o Sampaio

Paulo Bono disse...

se não é um diálogo verídico, é pq vc bota pra lenhar nos diálogos. dinâmico, recheado, inusitado, divertido. parabéns, essa menina.
grande abraço

poeta matemático disse...

Pô...

Parabéns pra ele então